No último domingo, dia 28 de novembro, o mundo foi abalado com a triste notícia de que Virgil Abloh, depois de aproximadamente dois anos numa dura e silenciosa batalha contra o câncer, faleceu. Arquiteto, designer, DJ, pai e um dos grandes revolucionários do mundo da moda e dos tênis.

Virgil, que para muita gente pareceu sair “do nada”, já era figurinha carimbada nos bastidores das grande semanas de moda e, claro, das ruas, de onde vinham algumas das principais inspirações para suas criações, sejam elas na Pyrex Vision, Off-White ou na sua gloriosa entrada para a Louis Vuitton.

Nessa cultura que tanto amamos, será impossível falar dos anos 2010 sem citar o “The Ten”, desenvolvido ao lado da Nike, Jordan Brand e Converse. Inegável divisora de águas, a coleção projetou o trabalho de Abloh em todos os cantos do mundo. Além desse, foram muitos os frutos da parceria da principal marca dele com a do Swoosh e do Jumpman, mas seus traços foram além dessas linhas e também deixaram rastros na Timberland e na Vans, por exemplo.

Conhecido pela sua tranquilidade, paixão e por apoiar veementemente tudo o que as pessoas ao seu redor planejavam, Virgil Abloh foi embora no auge de sua carreira, mas que certamente teria pontos ainda mais altos no futuro. Ele deixa nesse mundo uma herança sem tamanho, com contribuições a todos os espaços por onde pisou.

Daqui, o que podemos dizer é: obrigado, Virgil.